ALINHAMENTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO COM A ESTRATÉGIA EMPRESARIAL: A PERCEPÇÃO DAS MAIORES ORGANIZAÇÕES GAÚCHAS

ROBERTO ASTOR MOSCHETTA

DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

Dissertação apresentada ao Programa de Mestrado em Administração da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-RJ e da Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS como parte dos requisitos para obtenção do título de Mestre em Administração. São Leopoldo, 18 de outubro de 1999
Orientador: Prof. Dr. Luiz Carlos de Sá Carvalho


RESUMO

        Profissionais de gestão e especialmente profissionais de informática, não raras vezes, ficam pouco à vontade para responder questões referentes à contribuição que a tecnologia da informação - TI, de fato, traz às organizações.

        Por que este incômodo? Ele surge pois, em geral, as questões vão além de contrapor o "uso" com o "não uso" da TI; desejam aquilatar o "quanto usar" em um determinado momento, ou situação, para que, sem dúvida, a contribuição da TI para o negócio seja a mais otimizada.

        Para este foco da interrogação, inúmeros questionamentos emergem.

        O assunto é absolutamente polêmico e tem sido tema de acalorados debates inclusive no meio acadêmico onde é inconcluso e se reconhece que muito há de se escrever ainda sobre o tema.

        Nas organizações, a dinâmica dos negócios não permite aguardar por melhor definição acadêmica. As empresas adotam iniciativas pressionadas pela competitividade dos negócios.

        Ainda hoje a visão do papel da TI na estratégia competitiva das organizações tem sido em grande parte reativa - quer dizer, uma resposta para a estratégia competitiva e processos de negócio existentes, mas não um fator crítico moldando aquela estratégia e processos.

        Porém, esta perspectiva começa a ser revisada. Empresas líderes estão buscando maneiras de explorar a TI, visando transformar seus negócios básicos, aumentando as relações com fornecedores e clientes, e criando oportunidades de novos mercados.

        No mundo acadêmico as iniciativas pioneiras destas organizações passaram a ser conhecidas como "alinhamento da TI com a estratégia". As práticas adotadas por elas estão sendo utilizadas como paradigmas ou, no mínimo, como referência para apoiar estratégias de investimentos em TI.

        O objetivo desta pesquisa foi analisar, sob o ponto de vista do meio organizacional, qual a percepção da empresa quanto ao alinhamento dos investimentos em TI com os demais investimentos definidos pela estratégia empresarial.

        Examinou-se em cinco das maiores empresas de origem e sede administrativa no Estado do Rio Grande do Sul, qual a visão de Chief Executive Officer (CEO) e Chief Information Officer (CIO) quanto à forma como eram destinados recursos para investimentos em TI e se tais investimentos estavam, ou não, alinhados aos demais definidos pela estratégia empresarial. Desejava-se saber se CEO e CIO consideravam que a TI estaria tramada com a estratégia empresarial.

        Dada a inconclusividade do tema imaginava-se encontrar divergências conceituais e de visão entre o CEO e o CIO quanto à quantificação e associação dos investimentos em TI aos demais investimentos definidos pela estratégia empresarial.

        Não foi o observado. Os profissionais entrevistados mostraram-se atentos para evitar dissociações danosas entre investimentos em TI e os demais, necessários à consecução do negócio. Constatou-se que na cultura corporativa das maiores empresas gaúchas já vige o conceito do alinhamento e que sua sedimentação é um processo ainda em andamento, mas muito bem dirigido e direcionado.

ABSTRACT

        It is not unusual for administration professionals and specially for information tecnology professionals to feel uncomfortable when answering questions concerning the contribution actually given by information technology (IT) to organizations.

        But why feel discomfort? It usually goes beyond situations which aim at the use or the lack of IT use, it happens in situations that wish to assess "how much to use IT" in a specific moment or situation, to have its use optimized beyond any doubt.

        Countless questions come up within this focus of the matter.

        The topic is absolutely polemic and has been the issue for fierce discussions, even in academic circles, where it has been inconclusive. However, it has been acknowledged that much shall still be written about it.

        In companies, business dynamics does not allow waiting for a better academic definition. Companies take initiatives pressured by business competitiveness.

        Still today, IT role in the competitive strategy is seen as reactive, which means an answer to a competitive strategy and current business processes, rather than a critical factor molding that strategy and processes.

        However, this perspective is beginning to be seen through a different viewpoint. Leading companies are searching for ways to explore IT, aiming at transforming their basic business, enlarging the supplier and customer relations and generating new market opportunities.

        In the academic world, the pioneer iniciatives of these organizations became known as "IT and strategy alignment". The practices which they have adopted are being used as paradigms, or at least, as reference to support strategies of investments in IT.

        The aim of this research was to analyze, from the organizational circle viewpoint what the company perceives in relation to the IT investment alignment in face of the other investments designed by the company strategy.

        Five of the largest companies, both local and with administrative offices stablished in the State of Rio Grande do Sul, were enquired concerning the views of the Chief Executive Officer (CEO), and the Chief Information Officer (CIO), on how resources for IT investments were made and whether such investments were aligned to the other ones defined by the company strategy. The question was whether, in the opinion of both the CEO and the CIO, the IT and the company strategy were weaved together.

        Due to the inconclusiveness of the issue, conceptual and view divergences were expected between the CEO and the CIO concerning the IT investment association and assessment in relation to the other investments defined by the managerial strategy.

        That was not registered. The professionals interviewed seemed to be careful to avoid harmful dissociations between IT investments and the others needed for the success of the business. It was verified that in the corporative culture of the largest "gaúcho" companies, the concept of alignment is already into effect and that its settling, even though being still an ongoing process, is very well oriented and managed.


SUMÁRIO

RESUMO
ABSTRACT
SUMÁRIO
LISTA DE TABELAS
LISTA DE ILUSTRAÇÕES
1 INTRODUÇÃO
2 REFERENCIAL TEÓRICO
2.1 A força do tema
2.2 Abordagem teórica
2.3 Visão geral do tema
2.4 O foco na produtividade
2.4.1 Estudos no setor de serviços
2.4.2 Estudos no setor industrial
2.4.3 Estudos quanto ao superávit do consumidor e crescimento econômico
2.4.4 O ocaso da produtividade
2.5 O foco no alinhamento
2.5.1 O modelo do alinhamento
2.5.2 Um método para o alinhamento
2.5.3 Contestando o alinhamento
2.6 O foco na informação
2.7 O foco no homem
3 METODOLOGIA
3.1 A pergunta da pesquisa
3.2 Suposição
3.3 Definição das variáveis
3.4 O instrumento de coleta de dados
3.5 Empresas pesquisadas
3.6 Marcação das entrevistas
3.7 Entrevistas
3.8 Tratamento dos dados
4 ANÁLISE DE RESULTADOS
4.1 Resultados descritivos
4.2 O ambiente em permanente mudança
4.3 Descrição do perfil dos CEO e CIO
4.4 Correlações entre as variáveis
4.5 Análise das entrevistas
5 CONCLUSÕES
ANEXOS
A Questionário
B Carta
  GLOSSÁRIO
  REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
 

LISTA DE TABELAS

1 Principais estudos empíricos sobre TI e produtividade
2 Componentes de investimentos em 1970 e 1993
3 Estudos de setores econômicos
4 Investimentos em computadores na economia norte-americana
5 Estudo de empresas no setor de serviços
6 Estudos de empresas industriais e de empresas multissetoriais
7 Estudos sobre a contribuição para o superávit do consumidor e crescimento econômico
8 Maiores empresas em faturamento no estado do Rio Grande do Sul
9 Parte II - Variáveis: Missão, objetivos, estratégias, planos de ação, procedimentos, resultados, outros investimentos, mudanças e processos-chave
10 Parte III - Variáveis: Investimentos em TI, planos de ação, procedimentos, resultados, mudanças e processos-chave
11 Parte IV - Variáveis: Oportunidades, inovação, mudanças, processos-chave, planos de ação, investimentos em TI e fatores críticos de sucesso
12 Parte V - Variáveis: Resultados, investimentos em TI, planos de ação, mudanças, processos-chave, qualidade, melhoria, valor para acionistas, perfil de recursos humanos, sistemas de informação, redução de custos e lucros
13 Parte VI - Variáveis: Valores financeiros, planos de ação, investimentos em TI, capacidade de investimento e limitação dos investimentos em TI
14 Parte VII - Variáveis: Praticas adotadas, procedimentos administrativos e benchmarking
15 Empresas de controle de gestão e poder decisório no estado do Rio Grande do Sul
16 Características na descrição do perfil de CEO e CIO
17 Características quanto ao planejamento estratégico formal - Parte II
18 Características quanto aos investimentos em TI - Parte III
19 Características quanto à importância e influência da TI - Parte IV
20 Características quanto ao retorno dos investimentos em TI - Parte V
21 Características quanto a práticas adotadas - Parte VI
22 Características quanto a extrapolação - Parte VII
23 Principais características constatadas através dos resultados da pesquisa

LISTA DE ILUSTRAÇÕES

1

Pertences de uma casa que contém microchips

2 Expansão dramática de participação e segmentos de mercado
3 Qual o relacionamento?
4 Investimentos em TI crescendo a passos rápidos
5 Produtividade do setor de serviços não manteve passso com o do setor industrial
6a O custo da computação caiu substancialmente em relação a outras aquisições de capital
6b O desempenho do microchip mostrou um crescimento exponencial ininterrupto
7 Processamento da informação é a categoria que mais emprega
8 A produtividade do colarinho branco parece ter-se estagnado
9 Gastos com TI estão relacionados com rentabilidade? (serviços)
10 Gastos com TI estão relacionados com rentabilidade? (indústria)
11a O modelo de alinhamento estratégico de J. C. Henderson e N. Venkatraman
11b Perspectiva de execução estratégica
12 Perspectivas de alinhamento
13 Perspectivas de fusão
14 Três fases para o alinhamento - estratégias, planos e táticas
15 Fase I - Formulação da estratégia de TI
16 Análise das necessidades estratégicas de TI
17 Impacto estratégico potencial versus nível de satisfação
18 Analise da variação em subunidades
19 Desenvolvimento do planejamento de TI
20 O modelo de Scott Morton das cinco forças que influenciam os objetivos das organizações
21 Alinhamento das estratégias de negócios e da TI
22 O modelo de Scott Morton das cinco forças que influenciam os objetivos das organizações
23 Frases de Claudio Ciborra quanto à estratégia empresarial e TI
24 O modelo de Scott Morton das cinco forças que influenciam os objetivos das organizações e frases de Claudio U. Ciborra quanto a Estratégia Empresarial e TI
Webmaster: webmaster@bogari.com.br
Copyright © 2001 Bogari Consultoria Gestão e Negócios Ltda.
Última atualização: 06 de Junho de 2001